Os olhos cegos dos cavalos loucos (2)

Os olhos cegos dos cavalos loucos – pela aluna Clara Areias Martins

Este é um poema escrito pela aluna Clara Areias Martins que te convida a conhecer a obra “Os olhos cegos dos cavalos loucos”, do escritor Ignácio de Loyola Brandão.

Os olhos cegos dos cavalos loucos

Roda roda o carrossel
Há muito tempo
um circo de cavalinhos
Roda roda de mansinho
Com seus belos corcéis
e cavalinhos
Todos muito coloridos
Com seus olhos arco-íris,
de bolinhas de gude
Roda roda, agora muito rápido
Está louco!
E com isso, os cavalos arderam em fogo
Lá se vai o carrossel,
dos cavalos cegos, dos cavalos loucos
A relíquia que restou
foram os olhos cegos dos cavalos
Guardados com muito amor
pelo seu criador
“Me desculpe, vovô!”

Quer receber mais conteúdos sobre educação de bebês e crianças?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.