primeira alimentação do bebê

Primeira alimentação do bebê: como deve ser feita e por quais alimentos começar

Jéssica e sua filha Renata, de seis meses, estão prestes a iniciar um novo momento na vida: a primeira alimentação do bebê.

Pela primeira vez, Renata vai provar outros tipos de alimentos além do leite materno. 

Ela não está muito ansiosa para isso, mas a mãe, Jéssica, que já ouviu relatos de outras mães, está preocupadíssima com o processo. 

É comum que o bebê não queira comer, dê um olé nos pais para aceitar uma pequena colherada, e até que chorem e se recusem a tentar experimentar a comida sólida.

Isso é normal e não é motivo para abandonar as tentativas. 

Neste artigo, vamos dar todas as dicas para a Jéssica e para todas as mamães que estão na mesma situação. Confira:

Quando devem ser introduzidos os primeiros hábitos alimentares do bebê?

primeira alimentação do bebê dicas

Até os seis primeiros meses de vida, o bebê precisa ser alimentado exclusivamente com leite materno –  ou fórmulas infantis, caso não seja possível amamentar

Veja também: Leite materno: Benefícios e Principais dúvidas das mamães respondidas

A partir desse momento, o sistema digestivo do bebê já está maduro o suficiente para receber outros tipos de sabores e texturas. 

O organismo do pequeno também já está mais forte e capaz de enfrentar alergias e infecções.

Isso tudo, claro, sem deixar o aleitamento materno de lado. 

O leite pode e deve ser mantido de forma complementar até os dois anos ou mais.

Para começar a introdução alimentar, os médicos pediatras costumam recomendar que as frutas, amassadas como papinha, sejam os primeiros alimentos da dieta do bebê. 

É importante variar e oferecer tipos diferentes de sabores, com um intervalo de dois ou três dias entre eles.

Papinhas com cereais ou tubérculos, vegetais frescos, proteína animal e feijão também são opções para o almoço e para o jantar. 

Ofereça uma porção pequena, sem sal, e permita que a criança experimente conforme se sentir à vontade.

As papinhas de frutas, por sua vez, são ótimos lanchinhos.

É indicado que o lanche da manhã seja feito três horas depois da primeira mamada do dia.

Aliás, esse momento introdutório é muito oportuno para adotar o método BLW (baby led weaning).

Porém, antes de utilizar o método é sempre recomendado conversar com o seu pediatra.

Qual deve ser a primeira alimentação do bebê? Alimentos mais indicados

Além de saber quais são os melhores alimentos para o bebê, é importante atentar para a maneira como os alimentos devem ser introduzidos. 

No começo, o bebê come pouco

Então, não force a criança a comer mais do que ela quer. 

Respeite a saciedade do pequeno. 

Ofereça os novos alimentos de forma separada.

Isso ajuda na formação do paladar dos pequenos. 

Mesmo que o bebê rejeite alguns alimentos, ofereça outras vezes.. 

O ideal é que o bebê faça 3 refeições por dia, além da complementação do aleitamento materno. Essas refeições precisam conter minerais, vitaminas, fibras, proteínas e gorduras boas. 

Esses nutrientes estão presentes nas frutas, nos legumes, nas verduras, nos cereais, nas carnes e nos feijões.

Resumindo, os alimentos para essa primeira fase alimentar do bebê são:

  1. Frutas (frescas, raspadas ou amassadas): maçã, banana, mamão, melancia e abacate,etc.
  2. Cereais: macarrão e arroz
  3. Tubérculos: batata, aipim e batata-doce
  4. Proteína animal: carne bovina, frango e ovos
  5. Verduras e legumes: beterraba, cenoura, repolho, abóbora e brócolis
  6. Leite materno ou fórmula

12 dicas para facilitar a primeira alimentação do bebê

1. Bebê relaxado

alimentação do bebê

Escolha um momento em que o bebê esteja descansado.

Esse momento pode ser um pouco difícil, no início.

Se o pequeno estiver com sono ou muito agitado, é provável que você tenha mais dificuldades.

2. Não espere demais do bebê

Para nós, adultos, comer é uma coisa muito simples e necessária.

Para os bebês, no entanto, será uma experiência completamente nova – e única, no começo.

Pense que o pequeno ficou seis meses ingerindo apenas líquido.

De repente, você colocará alimentos sólidos na boca dele, com gosto e textura diferente das quais ele está acostumado.

Esquisito, né?

Não espere que ele vá devorar a comida. 

Esse processo leva um tempo, ok?

3. Tenha cuidado com a temperatura 

Certifique-se de que a papinha esteja na temperatura adequada para o bebê.

Obviamente, não pode ser quente demais a ponto de queimar a boquinha do bebê.

Alguns pequenos, porém, gostam do alimento quase frio. 

Teste para ver qual o seu prefere!

4. Vestimenta do bebê

Como você já sabe, o bebê precisa estar muito confortável para conseguir se engajar nesse processo de introdução alimentar.

Tome cuidado para que ele esteja com roupas adequadas à temperatura do local.  

Se o bebê estiver com frio ou com calor, provavelmente estará mais irritadiço, dificultando a alimentação.

Também opte por roupas confortáveis e mais velhas.

Confortáveis porque, quanto mais relaxado estiver o bebê, mais provável será a colaboração dele na introdução alimentar.

E, segundo, claro, porque o bebê provavelmente vai se sujar muito, e você não quer perder roupas novas para a papinha.

ebook berçário portal

5. Posicionamento da língua 

Ao mamar, o bebê costuma posicionar a linguinha para fora, em um movimento de sucção. 

Quando a criança for testar outros alimentos, a tendência é de que esse movimento seja repetido. 

Se você for dar a comida com uma colher e o bebê “empurrar” a comida para fora com a língua, não se desespere.

Não significa que ele não gostou da comida, e sim, que está imitando o movimento já tão tradicional para ele. 

6. Escolha um local agradável

Quando for alimentar o bebê, escolha um local que você goste e que seja também agradável para ele. 

Um cômodo calmo, sem muito barulho e movimento de pessoas, sem televisões e distrações, faz a diferença.

7. Deixe a criança sentir a textura da comida

como fazer primeira alimentação do bebê

Uma das primeiras reações do bebê, ao ver a papinha, será tentar colocar a mão. 

Ao ver isso, os pais acabam afastando a papinha, tirando-a do alcance do pequeno.

Segure o seu TOC e deixe o bebê mexer na comida.

Permita que a criança tenha um contato 360 com a comida e deixe-a estimular os sentidos: tocar, sentir, cheirar, provar. 

8. Foque no bebê

Quando for alimentar o seu bebê com papinha, esqueça outras tarefas.

Não fique com um olho no celular ou no computador.

Foque sua atenção exclusivamente no bebê e no processo que estão iniciando juntos. 

9. Crie uma rotina 

Quanto mais regrado for o momento de alimentação, mais rápido o bebê se adapta a ele.

Estabeleça uma rotina. 

Aos poucos, o bebê vai identificar aquele como o momento de comer. 

Fazer tudo na mesma ordem pode ser uma maneira rápida de criar esse padrão: colocar a criança na cadeira, colocar o babador, trazer o pratinho.

Pequenos gestos corriqueiros farão com que ele identifique aquela hora como a hora da refeição.

10. Traga um brinquedo

É sempre bom ter um aliado nessas horas.

Traga um brinquedo da criança para a mesa. 

Se ela estiver dificultando o processo de alimentação, tente distraí-la com o brinquedo ou ofereça comidinha para um(a) boneco(a), por exemplo. 

Aos poucos, você vai conseguir fazer com que o bebê acabe aceitando algumas colheradas.

11. Pause

Quando estiver muito difícil, faça pausas.

Insistir demais só vai deixar vocês dois estressados.

Pause por alguns minutos: dê um passeio com a criança, troque a fralda, depois retome o processo.

12. Checar as fraldas

É comum que os bebês, quando comam, façam cocô. 

Preste atenção a isso: uma fralda molhada é sempre desconfortável para a criança. 

É possível que o bebê fique focado nesse desconforto e acabe dificultando a alimentação. 

5 receitas para a primeira alimentação do bebê

1. Arroz colorido com cenoura, abobrinha e ovo

arroz colorido

Ingredientes

  • 2 colheres de sopa de arroz cru;
  • 1 ovo; (mediante aprovação do pediatra)
  • 1 colher de sopa cheia de cenoura ralada crua;
  • 200 mL de água;
  • 3 colheres de sopa de abobrinha ralada crua;
  • 1 colher de chá de alho cru picado;
  • 1 colher de chá de cebola crua picada;
  • 1 colher de café de azeite extra virgem;
  • 1 xícara e meia de chá de água.

Modo de preparo

  1. Aqueça o azeite em uma panela pequena, adicionando o alho, a cebola e a cenoura, refogue.
  2. Acrescente o arroz e refogue.
  3. Adicione a água e deixe cozinhar até a água secar e o arroz estiver macio.
  4. Adicione abobrinha.
  5. Cozinhe o ovo à parte por 8 minutos.
  6. Pique o ovo em 4 partes e sirva com o arroz.

2. Papinha de maçã

papinha de maçã

Além de saborosa, a papinha de maçã contém fibras que ajudam no bom funcionamento do intestino. 

A fruta é rica em vitamina A, vitamina C e vitamina E, que fortalecem o sistema imunológico do bebê.

Ingredientes

  • 1 maçã vermelha ou verde;
  • 1 litro de água filtrada.

Modo de preparo

  1. Lave bem, retire a casca e as sementes, e corte a maçã em pedaços pequenos.
  2. Em uma panela, coloque a água e adicione a maçã. 
  3. Ferva por aproximadamente 5 minutos.
  4. Quando estiver cozida, retire da panela, aguarde amornar e amasse a maçã com um garfo. 
  5. Espere esfriar e sirva com uma colher em pequenas porções.

3. Papinha de banana com mamão

papinha de banana com mamão

A papinha de banana com mamão é naturalmente doce e pode ser feita para prevenir e combater a prisão de ventre.

Já a banana é rica em fibras, o que também ajuda na formação das fezes.

Ingredientes

  • 1 fatia de mamão papaia sem sementes e sem casca;
  • ⅓ de banana.

Modo de preparo

  1. Amasse a fatia de mamão com um garfo. 
  1. De forma separada, amasse a banana com um garfo e sirva as frutas separadas para o bebê. 
  1. É importante verificar que não ficou nenhum pedaço de fruta inteiro.

4. Papinha de batata e abobrinha

papinha de batata e abobrinha

A papinha de batata com abobrinha é rica em fibras, vitamina A, vitamina do complexo B e vitamina C, e minerais como fósforo, potássio, cálcio e magnésio.

Todos esses nutrientes são essenciais para o desenvolvimento saudável do bebê.

Além disso, a abobrinha tem uma grande quantidade de água, ajudando na hidratação do bebê e sendo fácil de digerir. 

Ingredientes

  • 1 batata inglesa pequena sem casca;
  • ½ abobrinha pequena;
  • 1 colher de café de salsa fresca picada;
  • Água filtrada.

Modo de preparo

  1. Lave bem a batata, a salsa e a abobrinha. 
  1. Descasque  a batata, corte-a em cubos e coloque em uma panela. 
  1. Corte a abobrinha em cubos e coloque na panela. 
  1. Cubra os legumes com a água e cozinhe por aproximadamente 5 minutos ou até os legumes ficarem bem cozidos. 
  1. Desligue o fogo, escorra os legumes e adicione a salsa picada.

5. Papinha de arroz com frango e legumes

papinha de arroz frango e legumes

A papinha de arroz com frango e legumes é rica em proteínas que ajudam na formação dos músculos.

Essa papinha também tem boas quantidades de carboidratos, o que garante energia para o desenvolvimento e para o crescimento do bebê.

Ingredientes

  • 4 colheres de sopa de espinafre lavado e picado;
  • 1 colher de sopa de arroz lavado;
  • ½ cenoura pequena picada em cubos médios;
  • 2 colheres de sopa de frango cortado em cubos;
  • 1 colher de café de coentro fresco lavado e picado;
  • Água filtrada.

Modo de preparo

  1. Coloque todos os ingredientes, exceto o espinafre e o coentro, em uma panela, e cubra com água.
  2. Leve ao fogo médio e cozinhe até que todos os ingredientes estejam bem macios. 
  3. Quando estiver faltando 3 minutos para ficar pronto, acrescente as folhas de espinafre e de coentro. 
  4. Espere esfriar um pouco.
  5. Amasse 1 colher de sopa da cenoura. 
  6. Acrescente 1 colher de sopa do espinafre cozido e desfie ou amasse com um garfo.
  7. Adicione 1 colher de sopa do frango cozido e desfie com um garfo. 
  8. Coloque 1 colher de sopa do arroz cozido e amasse com um garfo.
  9. Sirva os alimentos de forma separada para o bebê.

Existem frutas que não se pode dar ao bebê?

Por mais incrível que possa parecer, sim, existem frutas que não são recomendadas aos bebês!

Frutas cítricas, por exemplo, como limão, mexerica e laranja, têm alto potencial alergênico. Por isso, é melhor esperar até que o bebê complete um ano de idade. 

Kiwi e morango também são frutas que apresentam potencial alergênico. Recomenda-se que só sejam introduzidos na alimentação do bebê por volta dos 8 ou 9 meses.

Por fim, mesmo que naturais, os nutricionistas pediátricos recomendam que as crianças não bebam sucos. 

Os sucos têm mais calorias e menos nutrientes que o leite materno, que a fórmula ou até mesmo que a fruta em pedaços ou amassadas. 

Uma quantidade em excesso de sucos pode provocar obesidade, diarréia e cáries.

Além disso, nos sucos, as frutas perdem a textura característica de cada uma, e perceber texturas é um fator importante para o desenvolvimento do paladar. 

Com calma e paciência, a primeira alimentação do bebê será um sucesso.

Compreenda que o que é super normal para você hoje, como adulto, é um mundo novo de sensações para os pequenos.

Não se compare com outras mães ou seu filho com outros bebês.

Você terá uma experiência única, e seu filho, gostos particulares. 

Já passou por esse processo alimentar? Então, conta para nós como foi!

Está passando por dificuldades?

Compartilhe nos comentários abaixo.

Quer receber mais conteúdos sobre educação de bebês e crianças?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.